terça-feira, janeiro 09, 2007

Para pensar!!




Não confundas o amor com o delírio da posse, que acarreta os piores sofrimentos. Porque, contrariamente à opinião comum, o amor não faz sofrer.


O instinto de propriedade, que é o contrário do amor, esse é que faz sofrer. (...) Eu sei assim reconhecer aquele que ama verdadeiramente: é que ele não pode ser prejudicado. O amor verdadeiro começa lá onde não se espera mais nada em troca.

(Antoine de Saint-Exupéry, in 'Cidadela')

4 comentários:

Ana disse...

Amor desinteressado... Amor que se basta...

Supostamente o verdadeiro amor sim, mas...sendo assim, quantos amam de verdade?


Bjs

rebelmind disse...

Ana

Realmente penso que amor verdadeiro nos dias de hoje, só deverá existir mesmo naquelas tribos que quase ninguém ouviu falar. Tribos essas que se limitam a sobreviver e a procriar (lol) e que vivem realmente o ideal de "amor e uma cabana".

Qd falarmos por MSN se quiseres dissecamos este texto do principio ao fim, porque realmente é um texto complicado que (como todos os textos) poderá ter variadíssimas interpretações.

Bj

Rebelmind out...

doceKin disse...

Isto é ser-se altruísta a mais, pode ser com a evolução da espécie, quer dizer, mais com a evolução da alma da espécie, o q mto sinceramente, pelo caminho q isto anda a levar, mais depressa acontece que deixemos de amar e pronto...

Niki disse...

quererá isto então dizer que amor verdadeiro não existe? ou melhor..... até existe mas por pouco tempo.... o ser humano é demasiado egoísta!

Beijinho